dentisticas 2

Dentística

Profissionalmente, existem quatro maneiras principais de lidar com a cárie dentária. Estes tratamentos realizados podem ajudar a tratar os danos causados pela cárie dentária.

Recheios: Recheios são a forma mais comum de tratamento para a doença. Um dentista perfura a (s) área (s) afetada (s) dos dentes, remove o material deteriorado dentro da cavidade preparada e embala este espaço vazio com um material de enchimento dentário apropriado. Existem diferentes tipos de materiais de enchimento que podem ser usados, dependendo da área onde ocorreu a cárie. Resina composta, o material de preenchimento mais comum no mundo desenvolvido, tem uma grande paleta de cor que os dentistas podem usar para reparar o dano da cárie aos dentes que são visíveis quando você sorri. No caso dos dentes posteriores, alguns dentistas preferem usar outros materiais de preenchimento dentário mais fortes.

Coroas: as coroas são outra opção para os profissionais da odontologia no tratamento da cárie dentária e são usadas apenas quando uma grande parte do dente é destruída por doença. Quando a cárie dentária leva à necessidade de grandes obturações, o dente torna-se mais propenso a rachaduras e, finalmente, quebra. O dentista tentaria salvar o dente remanescente, repará-lo e, finalmente, encaixar o dente com uma cobertura de liga ou coroa de porcelana.

Canal Radicular: Outro método de tratamento, um dentista pode empregar é chamado de canal radicular. Como a cárie dentária progride através do esmalte e se instala no centro do dente, pode até avançar mais e danificar os nervos, que estão na raiz. Um dentista removeria o nervo danificado ou morto com o tecido do vaso sanguíneo circundante (polpa) e preencheria a área. O procedimento geralmente termina com o dentista colocando uma coroa sobre a área afetada.

Extração: Em alguns casos, o dente pode ser danificado além do reparo e deve ser extraído se houver risco de infecção se espalhar para o osso da mandíbula. A remoção de alguns dentes pode afetar o alinhamento daqueles deixados na boca, por isso é recomendado que uma prótese parcial, uma ponte ou um implante sejam inseridos nessas áreas desdentadas.

estetica

Estética

A estética dentária é uma subespecialidade da odontologia que é responsável por proporcionar harmonia e beleza ao sorriso.

Quando falamos de um “belo sorriso” estamos nos referindo não apenas à dentadura, mas a três componentes distintos que a definem e que devem ser levados em conta:

Os lábios
As gengivas
Os dentes

Todos eles devem ser analisados ​​em conjunto pelo especialista em estética dentária para obter o equilíbrio desejado nos resultados. Um bom especialista em estética dentária levará em conta todos os componentes do rosto como um todo, alcançando uma harmonia correta da boca com o restante dos elementos que compõem o rosto.

LÁBIOS
Os lábios são a moldura do sorriso. A melhoria estética dos lábios é feita através de diferentes técnicas de cirurgia estética facial e tratamentos reversíveis destinados a melhorar a espessura e posição no sorriso dos lábios.

Para aumentar ou diminuir o volume dos lábios, ou para corrigir alterações congênitas ou adquiridas, no Instituto Maxilofacial propomos técnicas minimamente invasivas que oferecem resultados muito naturais e duradouros.

GENGIVAS
O tamanho e a cor das gengivas são fundamentais para um sorriso bonito, portanto, o alinhamento e condicionamento das gengivas é essencial para um design bonito e natural.

As gengivas devem ter um comprimento adequado e uma cor saudável, além de uma forma arqueada em perfeito alinhamento com os dentes.

Existem várias técnicas periodontais indicadas para manter a saúde das gengivas, bem como para cobrir as raízes dos dentes dos pacientes quando eles aparecem por muito tempo.

DENTES
O tratamento odontológico é a parte mais delicada do design do sorriso. É importante estudar a forma, o tamanho e a cor para oferecer resultados individuais que sejam esteticamente agradáveis ​​e naturais.

Os tratamentos mais comuns são folheados dentais e clareamento dos dentes. Além desses procedimentos, a área de estética dentária também inclui as técnicas de reabilitação oral necessárias para melhorar o sorriso, juntamente com o Digital Smile Design, um sistema digital para planejar e facilitar o trabalho do especialista e aumentar a confiança do paciente.

sono

Odontologia do sono

Odontologia do sono tem seu trabalho focado na respiração e deglutição e seus hábitos deletérios relacionados as funções da boca e nariz.

No indivíduo portador da síndrome do respirador bucal e deglutição atípica, que temos os maiores transtornos e comprometimentos relacionados a dificuldades do sono e síndrome da apneia obstrutiva em todas as idades.

A síndrome da apneia obstrutiva, hiponímia obstrutiva do sono, são alterações que, além dos transtornos na função cerebral e má qualidade de vida, acarreta consequências sérias à saúde do paciente devido à falta de O2 nas células do tecido cerebral.

A hipertensão, arritmias cardíacas, acidentes vascular celebra, diabetes tipo II, infarto do miocárdio com morte ou não e TDAH são algumas das graves patologias que acometem os pacientes portadores de disfunções da boca e nariz.

A apneia do sono é causada pela obstrução das vias aéreas superiores por alguns momentos durante a noite, devido a retro posição mandibular em relação a maxila sendo o respirador bucal e pacientes com deglutição atípica e perda dental, flacidez dos tecidos da boca e cavum os de maior índice de problemas nas apneias.

Estas alterações que impedem a respiração normal por alguns segundos várias vezes por noite, que provocam o ronco sendo a vibração dos tecidos da parte posterior da cavidade bucal ou nasal e sendo a dificuldade da circulação do ar nestas áreas que nos chama mais atenção nesta grave síndrome.

A sonolência diurna excessiva, o despertar noturno constante, micção noturna, bruxismo, boca seca ou nariz seco,” alergias” respiratórias por falta de função nasal, lábios secos, tosse noturna, obesidade, síndrome do respirador bucal, deglutição atípica e o ronco são os principais sintomas que envolve a síndrome da apneia obstrutiva.

Formas de tratamentos para reduzir ou eliminar esta síndrome são apresentadas:

• Sistema Trainer: Diagnóstico e planejamento de aparelho intra bucal para recuperação das funções orais e respiratórias.
• Comportamental: mudança de hábitos e vícios orais e respiratórios
• Clínico: reorganizar as funções da boca e nariz e exercícios físicos, fisiologia muscular.
• Cirúrgico. Hipertrofias de tecidos não funcionais

Os aparatos orais usados para durante á noite exercitam com movimentos involuntários e durante o dia com movimentos voluntários, a fisiologia muscular e reposicionamento da mandíbula melhorando a passagem do ar, desobstruindo a região do cavum com o levantamento dos músculos linguais e funcionais nas funções orais. Nos casos mais severos será necessário avaliação odontológica e ou médica antes, durante e depois do tratamento, bem como os exames de polissonografia, radiografias e outros.

Vale salientar que nos idosos devido a perdas dentais e continuo desenvolvimento dos músculos linguais a apneia ou hiponímia vem acometer com mais frequência, sendo a obesidade um fator agravante.

É importante salientar que estes tratamentos descritos apresentam um sucesso em 85% para todos os casos em que os pacientes desenvolveram o tratamento a termo.

Os procedimentos foram cumpridos após diagnósticos e planos de trabalhos realizados por dentistas especializados em ortopedia funcional dos maxilares.